quinta-feira, maio 12, 2005

Procuro alguém que me atire uma corda por onde possa trepar e abandonar a ignorância

Em mais uma das minhas solitárias mas relaxantes viagens de regresso à terra natal, acompanhado parcialmente pelo "Contraditório" na Antena 1, eis que um dos comentadores de serviço, exprimindo a sua concordância com determinada ideia, sai-se com um "Calculo que sim.". Ora, um gajo de matemática não consegue deixar esta expressão passar incólume. Passei um varrimento rápido pelo meu passado matemático e não encontrei um único cálculo que sim. Muito menos um cálculo que não. Acreditando na sapiência do prelector, senti-me matematicamente ignorante. A partir desse momento, a minha vida gira em torno do "Calculo que sim". Quem encontrar primeiro que me diga, por favor. O meu agradecimento prévio.

7 comentários:

Petrucci disse...

como aluno "aplicado" de engenharia, procurei investigar e tentar demonstrar que poderá existir "um "Calculo que sim.""

recorrendo ao dicionário

cálculo
s.m. acto ou efeito de calcular; resolução de problemas aritméticos ou algébricos; concreção dura que se forma na bexiga, rins, figado, etc.; (fig.) plano; conjectura. (Do lat. calculu-, «pedrinha»)

sim
adv. designativo de afirmação, consentimento; interj. serve para reforçar o sentido de uma afirmação.

que
adv. de quant. equivalente a quão

ora, se calculo é uma concreção dura , ou pedrinha, que se forma e que é adv. de quantidade, suponho que o sim, como designativo de afirmação, coloque algum sentido na frase: "formaram-se algumas pedrinhas na minha bexiga!"

...espero que esteja explicado. de notar a importância do acento de exclamação.

coitado do senhor...

Petrucci disse...

depois de reler o meu comment acho que não ficou bem explicito.
o que queria explicar é que "Calculo que sim." existe no sentido em que o locutor se estava a referir a: "formaram-se algumas pedrinhas na minha bexiga!"

agora sim...

obrigado

Anónimo disse...

"calculo que sim" ñ encontro nenhum...Por outro lado,"calculo que não" encontrei variadíssimos exemplos...quase todos constavam dos meus testes de matemática...É que os meus resultados e os do prof eram mts vezes discordantes...
ñ sei se ajuda á explicitação deste conceito...mx o k conta é a intenção...

monstro disse...

Eu também já senti.

Essa concreção dura. E é normalmente nesses termos que a costumo colocar: "concreção dura"!

Mas também vos digo que há dias em que a concreção é mais dura que noutros... até faz doer os rins.
Quando essa concreção é mesmo dura então sim, utilizo essa expressão banal da aritmética:

"Calculo que sim!".

E eu sei que posso ferir sensibilidades ao dizer isto mas até já dei por mim a dizer:

"Calculo que seja isso mesmo!"

ou (quando até me custa, de tão duro que é o cálculo)

"Calculo que seja 4!"

Agora... "Calculo que não!" não, esse NUNCA me aconteceu.

João Gomes disse...

Pois é... a vossa análise contém um erro! (gosto de, de vez em quando, usar o contém em vez do tem... dá à frase um ar mais erudito e menos possessivo... mais tarde falarei sobre a relevância deste parentesis que abri e que me parece que é realmente nula)

Uma coisa é "cálculo", substantivo comum masculino singular. Outra coisa bem diferente é "calculo", primeira pessoa do singular do presente (tempo verbal e não o chamado "regalo" em espanhol) do verbo calcular.
Isto demonstra realmente a importância dos acentos. O que só prova que os americanos são estúpidos... não lhes chegava não usarem acentos na língua deles, ainda resolveram criar computadores que se estão a cagar (este sim, em bom português mas sem acento) para os acentos. Ainda assim, acho que a culpa maior é do ASCII... mas essas são contas de outro rosário (que expressão estúpida).

Voltando ao assunto, trata-se de calcular e não de pedra nos rins.
Ora, eu, como antigo estudante de matemática/informática, garanto-vos que a expressão "calculo que sim" faz sentido.
Afinal, em Lógica Matemática (ou não), mais não fazemos que calcular SIM e NÃO... ou 0 e 1... ou verdadeiro e falso... e voltamos aos computadores...

Assim, faz sentido "calculo SIM"... só me intriga o "que" lá no meio...
"Calculo QUE sim"...

Já agora gostei da expressão "sendo eu um gajo de matemática".
O professor Vitória gostava de dizer "técnico de ensino"... agora "gajo de matemática" nunca me tinha passado pela ideia.

Já eu tenho outra problema na minha futura actividade profissional...
Dizem que as nossas mães, quando lhes perguntarem o que fazem os filhos, vão franzir os olhos e dizer: "hmm... trabalha lá nos computadores e naquelas coisas...".
Isto demonstra que estamos perto do abismo. Não teremos um nome que designe a nossa actividade, não somos médicos, advogados, padres, professores... é que nem engenheiros, porque engenheiro é sempre o gajo que mexe numas máquinas (uma definição sempre muito vaga porque ninguém consegue concretizar mais esta ideia)...

Enfim... já me alarguei e acabei por fugir ao tema... quase fiz um novo post... pensando bem até podia mesmo fazer um novo post com isto... hmm... mas não me está a apetecer copiar o texto... fica aqui...

Petrucci disse...

engenheiro não é so "gajo que mexe numas máquinas", mas sim alguém que está preparado (ou supostamente deveria estar) para perceber e conseguir encontrar soluções ENGENHOSAS para qualquer (e atenção, porque é mesmo qualquer) situação menos positiva...tornando-a assim, mais facil...e prática...

volando ao tema, tenho que admitir que a tua cultura a nivel linuistico me levou a duvidar do meu pensamnto anterior...e até posso chegar a pizar o risco e dizer que tens um pouco de razão...mas não estarás a usar um argumento válido para justificar o teu algoritmo? hm? hm?

achas que isso é de homem?...

monstro disse...

Depois de ler o comment do JG e o do Petrucci (Grande João, páh... e Petrucci páh.. ora.. a'mandem-me daí esses ossos!!) gostaria de dizer que:

JG - > foi EXACTAMENTE isso que eu disse!

Petrucci -> Se é para começarmos com essas m****s, é melhor estarmos quietos!

:P