terça-feira, maio 31, 2005

O nascimento de novo paradigma

Um canal de televisão que não explicito pela insignia encontrou-se, ontem, com uma nova verdade científica que, a ser verdade, torna tudo diferente:

"Ter namorada e ter cabras não dá!"

O fenómeno é, segundo o especialista, um reflexo social. "Ter animais não somos muito bem vistos pela sociedade." (Foi dito mais ou menos assim!).
Na mesma entrevista, de cariz puramente cientifico, poderiamos ver ainda a morte desnaturada de uma galinha que serviu para a mais pura sobrevivência do homem - "A galinha mata-se, aqui, com um machado!" - afirmou, convicto nas outras formas de matar galinhas.
Foi impressionante a maneira desaforida, rápida e eficaz, porém bastante impactante, como se processou a passagem para defunto da dita. Nem viu a morte chegar e nem um "piuu" soltou.
O relato passou, também, por várias lições à plantação e colheita de feijocas. E não eram umas feijocas quaisquer! Eram feijocas trepadeiras que, depois de treparem a uns galhos "ali" postos de propósito poderiam ser colhidas como se de frutos de uma árvore se tratassem.

As expressões científicas, apesar de arcarem grande tecnicidade ao assunto, percebiam-se bem e as metáforas - "Ainda agora estava uma raça de solinho quentinho, agora já está a chover!" - ou - "Não vamos ao café porque temos animais e cheiramos mal." - cairam que nem docinhos num mar de vinagre!

PS.: Deixo claro que admiro imenso a sinceridade e pureza do miúdo. Trata-se de um trabalhador com amor ingénuo ao que faz por quase não ter tido outra opção. Nunca serei um trabalhador assim ou saberei o que o é ser.
Ainda escrevo que, apesar de ter a idade que tem e de se inserir no meio onde se insere (que é um meio digníssimo, apenas diferente), este mostrou vontade própria em estudar e perseguir melhores dias e uma capacidade admirável em falar de assuntos a que, provavelmente, ainda não tinha tido contacto.
Grande abraço, Nuno!

13 comentários:

t!t@ disse...

Vê-s logo k ñ conheces a vida no campo!!!:)

monstro disse...

Eu... sou aldeão :P.

Petrucci disse...

e as galinhas...fazem PIU??

...ai o campo, o campo...

as Giestas ...

monstro disse...

Posso-me bem defender dessa!
:P
Quando queremos significar que alguém se manteve calado, expressamos apenas que:
"Nem o bico abriu!"
ou
"Não se ouviu nem um Piu!"
Não há, ainda assim, pessoal com bico na cara (fora imagens e outras figuras de estilo).

Esqueci-me, em cima, de
EFECTUAR LOGIN E PUBLICAR!

vou ter de o fazer 2 vezes agora:
EFECTUAR LOGIN E PUBLICAR
EFECTUAR LOGIN E PUBLICAR

Petrucci disse...

há...

mas mesmo assim...

´ta fraquiiiinhooooo

:P

monstro disse...

Mas quero eu dizer... ninguém vai discutir o facto das cabras serem incompatíveis com as namoradas?

Eu sou a favor!

ELEP

João Gomes disse...

Se as cabras são ou não incompatíveis com as namoradas... não sei responder... mas é verdade que já vi muito boa gente perder a namorada por causa duma cabra... :x

thirdeye disse...

Sejam Namorada e Cabra elementos do conjunto real masculino.

A lei tricotómica diz que exactamente uma, e uma só, das três opções ocorre:

1) Namorada mais importante que Cabra
2) Cabra mais importante que namorada
3) Namorada = Cabra

Bom, uma das três ocorre. Por isso, vejam lá a vossa vidinha.

João Gomes disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
João Gomes disse...

Então e se juntarmos um novo elemento ao universo... chamemos-lhe cabra2 que poderá ter as mesmas propriedades que cabra, mas com diferentes valores.

Assim poderíamos ter cabra=namorada... e também cabra2 mais importante que namorada...

Claro que nesse caso o estrago não será grande...

Smile disse...

Mas eu até concordo com a ideia de que é totalmente impossível manter uma namorada e uma cabra,(ou no caso, várias)senão vejamos... Tomar conta de cabras é algo que ocupa tempo, muito tempo... E, quer queiramos ou não, manter namorada também ocupa muuuuuuito tempo! Assim sendo, julgo que o filho da mãe que se lembrou que um dia teria de ter 24 horas, nunca pensou na vida amorosa de um pastor... :|
Neste caso nem seria de admirar um pastor andar a desanuviar a tensão de um dia de trabalho na cabra... E dirião as feministas... "Antes na cabra que na namorada!!!!"
Só se a cabra fosse da namorada... diriam neste caso, "Antes na cabra da namorada..." (XIIII a língua portuguesa é mesmo muito traiçoeira!:P

monstro disse...

Ò João... tratas as cabras como se de um programa de informática em linguagem orientada a objectos se tratassem. Coitadas!

PS.: Enganei-me e carreguei em visualizar em vez de Efectuar Login e Publicar.

João Gomes disse...

Eu estava mais a pensar em conceitos matemáticos... mas realmente, programação orientada a objectos é capaz de modelar melhor a ideia que queria passar...

Alguém costuma ver os desenhos animados do Johnny Bravo no Cartoon Networks?

Era só para saber...

"Whatever..."